• InicioPostagens RecentesEdifique Sua Mente!FilosofiaPensamentosFique Por Dentro!AgnosticismoAteismoBig BangBuddhaCiencia X ReligiaoConecimento CientificoDeismoIdeologia X AlienacaoReligiaoLearn English!ExtrasCuriosidades

    Mundo Estranho

    Cafe Escritor

    _____________________

    Albert Einstein

    "O ser humano vivencia a si mesmo, seus pensamentos como algo separado do resto do universo - numa espécie de ilusão de ótica de sua consciência. E essa ilusão é uma espécie de prisão que nos restringe a nossos desejos pessoais, conceitos e ao afeto por pessoas mais próximas. Nossa principal tarefa é a de nos livrarmos dessa prisão, ampliando o nosso círculo de compaixão, para que ele abranja todos os seres vivos e toda a natureza em sua beleza. Ninguém conseguirá alcançar completamente esse objetivo, mas lutar pela sua realização já é, por si só, parte de nossa liberação e o alicerce de nossa segurança interior."

    _____________________

  • Coment. Recentes:

    giovanna cunha em Brasileiro sugere existê…
    Claudio Rennó em Brasil está entre as se…
    thalhes em Inglês não…
    dorinha em Inglês não…
    wendy karoline em Inglês não…
    wlm em Inglês não…
    Dmingos José dos San… em Feira de Santana – …
    Talita em Inglês não…
    rivaldo em Inglês não…
    Ísis em Inglês não…
    Janaina em Inglês não…
    ayra em História da Líng…
    ayra em História da Líng…
    Fernando Borges em Inglês não…
    paulo cezar bastos d… em Feira de Santana – …
  • Arquivo:

Ciência e Religião

Origem: Ciência e Religião / (UFSC).

 

 

 

O Nascimento da Ciência. Resumo: Face ao novo panorama iluminista na Europa, teólogos do século XVII ansiavam por uma confirmação das teorias religiosas, que vinham sendo tradicional e forçosamente aceitas há 1500 anos. Com essa finalidade, ajudaram a desenvolver uma nova ciência, utilizando um método de raciocínio mais apurado em busca da verdade divina. Porém, essa nova ciência não só não comprovou, mas também contestou vários dogmas centrais da igreja.

Os teólogos tinham então, basicamente, duas opções: aceitar as novas evidências e destruir os alicercies que mantiveram a sociedade (e a igreja no poder absoluto) por mais de mil anos, ou então podiam ignorar as evidências, reafirmar que as escrituras foram reveladas por Deus (e portanto a mais pura fonte da verdade), e continuar como estava. O resultado foi a ruptura entre a velha religião e nova ciência.

Apesar de tratarem de assuntos de mesma natureza, a ciência e religião diferem radicalmente quanto à forma de conhecimento, métodos e até à mentalidade:

A mentalidade religiosa é totalmente oposta à científica, racional. É uma atitude que espera a resolução milagrosa dos problemas, não indo às causas para se acabar com eles. Leva à apatia, à fraqueza dos povos, já que tudo é resolvido fora da pessoa, pelos deuses. Não contando também com os milhares de fanáticos e dogmáticos cristãos que morrem e deixam morrer os seus filhos inocentes porque não aceitam tratamento médico. Aliás, eles estão totalmente dentro da lógica da religião, pois se tudo, incluso as doenças, foi criado por Deus, porquê tratar-se no hospital, contrariando a vontade e os desígnios do Senhor?(Cassy Beski)

Quando uma pessoa se diz pertencente a uma religião ou doutrina, implicitamente ela afirma concordar com os dogmas dessa doutrina. Não é possível a uma pessoa pertencer a uma religião ou doutrina e simultaneamente não aceitar como verdadeiros todos os dogmas estabelecidos. Como seria possível um budista não crer na reencarnação de Buda? Simplesmente não seria, então, um budista. Como pode um judeu não crer na veracidade do criacionismo ou um cristão na ressurreição de Cristo? Na religião, os dogmas são verdades absolutas reveladas pelo Ser Divino. Portanto não estão abertos a discussões.

Os aspectos divergentes entre ciência e religião podem ser resumidos no dilema ceticismo versus crença. Analisando essa divergência notamos que o desacordo fundamental não são as conclusões, mas sim a maneira de chegar até ela. Quando praticamos ciência partimos de uma questão e através da razão, da lógica e de experimentos tentamos descobrir algo ou comprovar alguma coisa. O poder do conhecimento está na evidência e na razão, que são sujeitos a erros. Desse modo, a verdade é relativa e qualquer teoria sempre pode ser aperfeiçoada, modificada, e até mesmo excluída.Os aspectos divergentes entre ciência e religião podem ser resumidos no dilema ceticismo versus crença. Analisando essa divergência notamos que o desacordo fundamental não são as conclusões, mas sim a maneira de chegar até ela. Quando praticamos ciência partimos de uma questão e através da razão, da lógica e de experimentos tentamos descobrir algo ou comprovar alguma coisa. O poder do conhecimento está na evidência e na razão, que são sujeitos a erros. Desse modo, a verdade é relativa e qualquer teoria sempre pode ser aperfeiçoada, modificada, e até mesmo excluída.

Admitindo a sua imperfeição, a ciência progride e se afasta do dogmatismo. Tudo isso é analisado com ceticismo. Uma teoria que não passa por um exame cético dificilmente poderá ser verdadeira. Além disso, mesmo se confirmada a sua validade, não significa que serve como descrição definitiva de algum fenômeno ou então como explicação definitiva de uma questão.

Os métodos de investigação religiosa são opostos aos da ciência, pois a religião já parte de uma conclusão. O poder do conhecimento agora é concedido a uma pessoa, um livro ou uma tradição que alega deter em seu poder uma verdade imutável, universal e eterna. Diante dessa conclusão que admitem ser a verdade, o que resta fazer é justificar sua arbitrariedade através da fé, esquivando-se da lógica, da razão, ou de qualquer coisa que torne inválida sua conclusão inicial. Além disso, ganham espaço aqui as autoridades. Diferentemente do que ocorre no meio científico, as autoridades religiosas, sejam elas entidades ou pessoas, são as responsáveis de defender essa suposta verdade com suas armas: o medo, a crença arbitrária e o irracionalismo.

Na ciência não existem dogmas. O que há são conjuntos de leis e teorias consistentes com os fenômenos naturais. A comunidade científica, ao se dizer científica, implicitamente diz que aceita como “quase verdadeiros” os conhecimentos científicos. Isso significa que a ciência admite que suas leis e teorias podem conter erros e, portanto, são passíveis de serem rejeitadas ou aperfeiçadas no futuro.

Se o cristianismo tivesse razão em suas teses acerca de um Deus vingador, da pecaminosidade universal, da predestinação e do perigo de uma danação eterna, seria um indício de imbecilidade e falta de caráter não se tornar padre, apóstolo ou eremita e trabalhar, com temor e tremor, unicamente pela própria salvação; pois seria absurdo perder assim o benefício eterno, em troca de comodidade temporal. Supondo que se creia realmente nessas coisas, o cristão comum é uma figura deplorável, um ser que não sabe contar até três, e que, justamente por sua incapacidade mental, não mereceria ser punido tão duramente quanto promete o cristianismo.(Friedrich Nietzsche)

Não acredito que, medindo vantagens e desvantagens, a crença religiosa tenha sido uma força a favor do bem. Embora esteja disposto a admitir que em certas épocas e lugares produziu bons resultados, considero-a pertencente à infância do raciocínio humano, e a uma fase de desenvolvimento que já estamos superando. (Bertrand Russell)

Não vejo nada que preste no cristianismo. O cristianismo é o sistema mais pervertido que o homem já adotou. Encontramos nas escrituras uma ignorância vulgar, coisas impossíveis, superstição, fanatismo e mentiras. O dia chegará em que a geração mística de Jesus pelo espirito santo no útero de uma virgem será comparado à geração de Minerva no cérebro de Júpiter. Milhões de inocentes, desde o começo do cristianismo, foram queimados, torturados, penalizados e presos; no entanto não avançamos nem um centímetro na direção da uniformidade. Qual foi o efeito da coerção? Tornar a metade do mundo hipócrita e a outra metade tolos. Apoiar o erro em toda a Terra.

Venho examinando as superstições do mundo e não vejo nada que redima nossa superstição (o cristianismo). Todas foram fundadas em fabulas e mitos. Se fazemos algo de bom só pelo amor de Deus e uma crença que o agrada, então de onde vem a moralidade do ateu? É tolice dizer que isso não existe. O Deus cristão é o mesmo que os deuses de civilizações antigas. Ele é um monstro de três cabeças cruel, vingativo e cheio de caprichos. Se quisermos saber mais sobre este raivoso monstro de três cabeças só precisamos olhar para o tipo de pessoas que dizem ser seus servos. Eles sempre pertencem a duas categorias: Tolos e Hipócritas.(Thomas Jefferson)

2 Respostas

  1. AQUI O SITE ERRA EM APENAS POSTAR UMA PARTE DO DEBATE(OS ATEUS). OS DEPRESSIVOS(COMPROVADAMENTE NITZCHIE, SATRE E HEIDDEGER) SO VEEM O LADO RUIM DAS COISAS.
    RIDICULARIZAM A DEUS!!!!!!!! USAM DE ESCARNIO E ZOMBARIA. EU QUERIA DEBATER TB. SERA QUE VOCES DEIXARAO? VCS FALAM DA INTOLERANCIA CIENTIFICA VCS SAO CIENTISTAS E INTELECTUAIS PARECE SER PERFEITOS(O MUNDO CIENTIFICO E O MAIS MERCENARIO E TB O MAIS FALSO E TRAPACEIRO DO MUNDO). EU QUERO DEBATE VERDADEIRO.

  2. AQUI O SITE ERRA EM APENAS POSTAR UMA PARTE DO DEBATE(OS ATEUS). OS DEPRESSIVOS(COMPROVADAMENTE NITZCHIE, SATRE E HEIDDEGER) SO VEEM O LADO RUIM DAS COISAS.
    RIDICULARIZAM A DEUS!!!!!!!! USAM DE ESCARNIO E ZOMBARIA. EU QUERIA DEBATER TB. SERA QUE VOCES DEIXARAO? VCS FALAM DA INTOLERANCIA RELIGIOSA MAIS TB EXISTE A INTOLERANCIA CIENTIFICA OS CIENTISTAS E INTELECTUAIS PARECE SER PERFEITOS(O MUNDO CIENTIFICO E O MAIS MERCENARIO E TB O MAIS FALSO E TRAPACEIRO DO MUNDO). EU QUERO DEBATE VERDADEIRO.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: